Custom Search

Rua Joaquim Nabuco, Copacabana, Rio de Janeiro 

A Rua Joaquim Nabuco começa na Avenida Atlântica  e termina na Avenida Vieira Souto (Ipanema).

Clique e tuite para os seus amigos: A Rua Joaquim Nabuco começa na praia de Copacabana e termina na praia de Ipanema

Sua primeira denominação era Rua Silva Teles.

A Rua Joaquim Nabuco é uma rua bem arborizada, de tráfego de automóveis intenso durante todo o dia, e madrugada também.

GeoLocalização:

Latitude, Longitude : (-22.9862507,-43.192276)

CEP da rua Rua Joaquim Nabuco, Copacabana, Rio de Janeiro:

  • 22080-030 Rua Joaquim Nabuco

#Hashtag:

  • #ruajoaquimnabuco
  • #joaquimnabuco 

Rua Joaquim Nabuco, Copacabana

Restaurantes na Rua Joaquim Nabuco

Devido à proximidade da Rua Joaquim Nabuco vários bares e alguns restaurantes podem ser encontrados na vizinhança. Abaixo damos algumas sugestões:

  • Imperator - Avenida Atlântica, 4206 - telefone 22873854

  • New Tokyo - Rua Joaquim Nabuco, 14 - telefone 22475394

  • Flor de Copacabana - Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 1375 - telefone 22874035

  • Adega Cesare - Rua Joaquim Nabuco, 44 - telefone 25229470

  • Sindicato do Arpoador - Rua Joaquim Nabuco, 127 - telefone 25232000

A Lista e Reserva de Hotel, hostel e aluguel de apartamentos por temporada na região da Rua Joaquim Nabuco

Nas fotos estão alguns dos hotéis, hostel e apartamentos de aluguel por temporada que selecionamos para você aqui na região da Rua Joaquim Nabuco! Reserve em Copacabana pela localização ou consulte a Lista de Hotéis clicando aqui

Clique na foto para reservar

Rua Joaquim Nabuco em Copacabana, Rio de Janeiro anos 1920

Quem foi Joaquim Nabuco que nomeia esta rua em Copacabana?

Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo, escritor e político brasileiro, nasceu em Recife, Pernambuco no dia 19 de agosto de 1849, filho de José Tomás Nabuco de Araújo, político conhecido como "o Estadista do Império", e de Ana Benigna Barreto Nabuco de Araújo, de família nobre e irmã de Francisco Pais Barreto, o Marquês de Recife.

Viveu até os 8 anos de idade no Engenho Massanga onde foi criado pelo seu padrinho Joaquim Aurélio Pereira de Carvalho e sua madrinha D. Ana Rosa Falcão de Carvalho. Em 1857, com o falecimento de D. Ana Rosa, Nabuco é enviado de volta à seus pais no Rio de Janeiro quando realizou seus estudos primário e secundário quando estudou Humanidades no Colégio Pedro II, formando-se em Letras.

Com apenas 15 anos publicou um texto que obteve uma crítica positiva por parte do próprio Machado de Assis! Incentivado, três anos depois apresenta seu primeiro drama "Os Destinos" que foi assistido pelo Imperador Pedro II. Entre 1865 e 1868 estudou direito em São Paulo, vindo a formar-se em Recife em 1870.

Foi nomeado adido de primeira classe no serviço diplomático brasileiro onde serviu inicialmente em Londres e depois em Washington entre os anos de 1876 e 1878. Em 1879 entra para a política e inicia os debates de temas polêmicos na época e defendendo reformas liberais como o direito dos católicos, eleição direta e voto dos analfabetos, divisão dos latifúndios e abolição da escravidão, trabalho livre e contra a imigração chinesa que era intensa naquela época. Entre 1881 e 1884 Nabuco correu a Europa defendendo a liberdade dos escravos. Em 1883 em Londres, Inglaterra publica seu "O Abolicionismo". 

De volta ao Brasil se elege novamente Deputado pelo Estado de Pernambuco e passa a comandar a luta pela libertação dos escrevos que aconteceria e 1888.

Mesmo com a proclamação da República ele se manifesta como sendo a favor da Monarquia. Funda o Partido Monarquista em 1896 com Lafaiete Pereira, o visconde de Ouro Preto, Afonso Celso e outros, para em seguida se retiurar da vida pública, dedicando-se à sua obra e ao estudo.

Joaquim Nabuco vive Rio de Janeiro da advocacia e fazendo Jornalismo. Passa a visitar a redação da Revista Brasileira, onde criou amizado com figuras como: Machado de Assis, José Veríssimo, Lúcio de Mendonça, que resultaria no nascimento e fundação da Academia Brasileira de Letras, em 1897. Nabuco fundou a Cadeira n. 27, cujo patrono é Maciel Monteiro. Designado secretário-geral da instituição na sessão de 28 de janeiro de 1897 ficando até 1899 e depois de 1908 até 1910.

Foi nomeado Ministro Pleniponticiário pelo Presidente Campos Sales, em 1900, para uma missão de negociação com os ingleses sobre os limites das fronteiras do Brasil com a Guiana Inglesa. No ano seguinte é acreditado com Embaixador do Brasil em Londres e em 1905 é transferido para Washington nos Estados Unidos. 

Preside em 1906 a Terceira Conferência Pan-Americana no Rio de Janeiro onde participou o Secretário de Estado norte-americano Elihu Root defensor de uma forte integração regional. Em 1909 em Cuba assistiu a posse do primeiro governo do novo país e ainda em 1909 firmou diversos acordos com vários países como Equador, Cuba Costa Rica, Estados Unidos entre outros.

Presidente Theodore Roosevelt seu amigo, num grande funeral com honras de chefe-de-estado seu corpo foi conduzido até o cemitério de Washington e depois foi trasladado para o Brasil, no cruzador North Caroline até o Rio de Janeiro de onde foi finalmente levado para seu repouso final em seu Recife do coração. 

Obras

  • Camões e os Lusíadas (1872;
  • L’Amour est Dieu, poesias líricas (1874);
  • O Abolicionismo (1883);
  • O erro do Imperador, história (1886);
  • Escravos, poesia (1886);
  • Porque continuo a ser monarquista (1890);
  • Balmaceda, biografia (1895);
  • A intervenção estrangeira durante a revolta, história diplomática (1896);
  • Um estadista do Império, biografia, 3 tomos (1897-1899);
  • Minha formação, memórias (1900);
  • Escritos e discursos literários (1901);
  • Pensées detachées et souvenirs (1906);
  • Discursos e conferências nos Estados Unidos, tradução do inglês de Artur Bomilcar (1911);
  • várias memórias sobre as fronteiras do Brasil;
  • Obras completas, 14 vols. org. por Celso Cunha (1947-1949) ;
  • Campanha abolicionista no Recife (pol.), 1885, reed. 1988, Fundação Joaquim Nabuco, Recife;
  • Um estadista do império, Nabuco de Araújo, sua vida, suas opiniões, sua época (biog.) 1898-1900, 3 v., reed. 1975, Nova Aguilar, Rio de Janeiro;
  • Minha formação, 1900, reed. 1975, Paraula, Porto Alegre ;
  • Joaquim Nabuco: política (colet.), 1982, Ática, São Paulo.

A Rua Joaquim Nabuco começa na Avenida Atlântica na praia de Copacabana e termina na Avenida Vieira Souto, na praia de Ipanema!

Pesquise e descubra mais!

Custom Search
Rua Joaquim Nabuco

Rua Joaquim Nabuco