Copa Bacana completa uma semana com saldo positivo

26/4/2007 - 13h48

A operação Copa Bacana , ação conjunta entre o Governo do Estado e a Prefeitura do Rio visando a acabar com a desordem urbana num dos bairros mais charmosos do Rio, completa hoje uma semana com saldo positivo e apoio da população. Durante o trabalho coordenado pela Secretaria de Governo e sem data para acabar, foram abordadas 215 pessoas que moravam pelas ruas de Copacabana e 121 foram levadas para a Fundação Leão XIII. Dessas, 94 alegaram não ter dinheiro para voltar às suas casas e o retorno foi garantido com a ajuda do governo do Estado.

Setenta e cinco menores foram encaminhados para órgãos de assistência social e quatro menores infratores que estavam na Avenida Atlântica foram encaminhados para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Outros quatro menores foram levadas para a Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), já que estavam se prostituindo em frente à danceteria Help, na Avenida Atlântica, entre as ruas Miguel Lemos e Djalma Ulrich. Os pais foram chamados pelas autoridades.

- O diferencial dessa operação é que ela não dará trégua aos delitos cometidos diariamente. Vamos combater a desordem urbana em Copacabana, um dos cartões postais do Brasil - disse Rodrigo Bethlem, coordenador da operação.

Vinte kombis e carros velhos, que serviam como depósito de mercadorias de camelôs e ficavam estacionados ao longo da Avenida Atlântica, foram rebocados e levados para depósitos do Detran. Além disso, tanto por carga e descarga irregular como por transportar mercadorias mal acondicionadas, que põe em risco a saúde da população, 17 caminhões foram multados e tiveram a carga apreendida. Noventa e três quilos de pescado, que seriam vendidos a restaurantes da Praia de Copacabana foram inutilizados, assim como aproximadamente quatro quilos de requeijão.

Dezenas de camisetas falsificadas da Seleção Brasileira de Futebol foram apreendidas na feira de artesanato de Copacabana, que funciona todos os dias à noite no canteiro central da Avenida Atlântica.

Desde o último fim de semana, a população tem uma linha direta com o governo do estado para fazer denúncias. Foi lançado o Disque-Copa Bacana. Sem precisar se identificar, qualquer pessoa pode dar sugestões ou fazer sua reclamação sobre qualquer irregularidade no bairro através dos telefones 2299-5300 e 2299-5770.

Do total de telefonemas recebidos pelo Disque-Copa Bacana, o problema que mais aflige os moradores é a presença de moradores de rua, totalizando mais de 20% dos telefonemas. Em segundo lugar, está a presença de camelôs e flanelinhas, com 8% das ligações, seguido de queixas contra ponto de táxis e vans e estacionamento irregular nas ruas de Copacabana, entre outros.

- O saldo é extremamente positivo nesses primeiros dias e vamos continuar com a ação, uma determinação do governador Sérgio Cabral. Atrás dessa desordem, existem delitos e, se estivermos presentes, podemos aumentar a sensação de segurança para a população - disse Bethlem.

2007-08-27 13:37:38